Monday, February 10, 2003

IMUNOLOGIA

ANTÍGENOS LEUCOCITÁRIOS HUMANOS (HLA)
DO COMPLEXO PRINCIPAL DE HISTOCOMPATIBILIDADE (MHC)


01.Mecanismos do sistema imune = O sistema imune desenvolveu-se para proteger o indivíduo de um meio ambiente hostil contendo inumeráveis vírus , bactérias , fungos , vermes e outros parasitas .Para atuar efetivamente , o sistema imune deve distinguir entre Ag contra os quais uma resposta imune seria benéfica e aqueles contra os quais esta resposta seria prejudicial.Em outras palavras , o sistema imune deve diferenciar o próprio do não-próprio . Esta distinção crucial é obtida através de moléculas do MHC.
As moléculas do MHC foram descobertas pela primeira vez nos anos 1950 em estudos de rejeição de órgãos de pacientes transplantados e hemotransfundidos.Os leucócitos foram as primeiras células onde as MHC foram identificadas e , na época , as moléculas MHC foram chamadas antígenos leucocitários humanos (HLA).

02.Estrutura , distribuição tecidual e função das moléculas MHC = As moléculas MHC e os genes que as codificam situam-se em três categorias : MHC classe I , MHC classe II e MHC classe III.
As moléculas MHC classe I e II são glicoproteínas de superfície celular e são diferenciáveis com base em suas estruturas , distribuição tecidual e função .

PROPRIEDADES MHC classe I MHC classe II
Tipos HLA (MHC) A , B e C HLA (MHC) D , DR , DQ e DP
Distribuição tecidual Presente em todas as células nucleadas Restrito ás células do sistema imune e APCs
Funções Apresenta fragmento de Ag processado ás células TCD8 ( Ags internos e Ags virais ) Apresenta fragmento de Ag processado ás células TCD4.É necessário para interação efetiva entre as células imunocompetentes.

As moléculas de classe III incluem componentes do sistema de complemento ; são solúveis e não atuam como Ag de transplantes nem apresentam Ags ás células T.

03.Moléculas MHC de classe I = As moléculas MHC classe I consistem em uma estrurura protéica de duas cadeias : uma cadeia pesada a (44KDa) e uma cadeia leve b2 microglobulina (12KDa).
A molécula MHC classe I inteira é ancorada na membrana celular pela cadeia a; esta cadeia contém 388 resíduos de aa e pode ser dividida em três regiões : uma região hidrofílica extracelular que contém a extremidade amino terminal ; uma região hidrofóbica transmembrana e uma região hidrofílica intracelular.
A região extracelular é dividida em três domínios designados de a1 , a2 e a3.

A.Estrutura cristalina das MHC classe I = A b2 microglobulina (cadeia leve) e o domínio a3 possuem uma estrutura de folha b pregueada e formam a parte inferior da molécula.
Os domínios a1 e a2 consistem , cada um , em quatro folhas b pregueada e uma a hélice ( o conjunto forma ,então, 8 folhas b pregueadas e 2 a hélices ). As 8 folhas b pregueadas formam uma alça que atua como uma plataforma que sustenta as duas a hélices. Essas a hélices criam um sulco ou fenda que vai abrigar o fragmento antigênico depois de processado para ser apresentado ao linfócito TCD8.

B.Função das MHC classe I = As moléculas de MHC classe I estão presentes na superfície de todas as células nucleadas , o que é apropriado para seu papel fisiológico de apresentar antígenos internos ( virais e tumorais ) para o linfócito TCD8 .Uma vez que o reconhecimento ocorra , o linfócito TCD8 ( que é citotoxico e de vigilância porém existe em pequena concentração relativa ) destrói a célula alvo que apresenta o antígeno interno não-próprio .
- Este é o mecanismo básico da rejeição à órgãos transplantados .


03.Moléculas MHC classe II = As moléculas MHC classe II também são estruturas em duas cadeias , uma cadeia a (34KDa) e uma cadeia b (29KDa) associadas não-covalentemente .

A.Estrutura cristalina das MHC classe II = As cadeias a e b são compostas de 229 e 237 resíduos de aa , respectivamente . Da mesma forma que a cadeia pesada da MHC classe I , as cadeias a e b das MHC classe II possuem cada uma três regiões : uma região extracelular hidrofílica , uma região transmembrana hidrofóbica e uma região intracelular hidrofílica. As duas ultimas regiões ancoram as cadeias á membrana celular.
A região hidrofílica extracelular da cadeia a contém dois domínios designados de a1 e a2 ; de modo similar , a cadeia b contém os domínios b1 e b2.
Os domínios a2 e b2 constituem a porção da molécula que é proximal á membrana celular e sustenta os domínios distais a1 e b1 . Esta porção distal é extremamente similar ao sitio de ligação do Ag das moléculas MHC classe I.

B.Funções das MHC classe II = As moléculas de MHC classe II têm uma distribuição celular limitada : são encontradas principalmente em células imunocompetentes e nas APCs . A função das MHC classe II é de apresentar o fragmento antigênico processado aos LTCD4 durante a iniciação da resposta imune. Assim como os LTCD8 reconhecem apenas Ags no contexto de ligação com moléculas MHC classe I , os LTCD4 só o fazem quando no contexto de MHC classe II .


Referências

ROITT , Ivan – Imunologia , 5ed , Ateneu , São Paulo , 1998.

STITES , Daniel ; TERR , Abba – Imunologia Básica , 1ed , Prentice/Hill , Rio de Janeiro , 1991.




IMUNOLOGIA I

A RESPOSTA IMUNE


01.Introdução = A resposta imune é composta por uma complexa seqüência de eventos que começa pela introdução de um estímulo ( imunógeno ou antígeno ) e geralmente termina com a eliminação do agente provocador.Na verdade, a função primária da resposta imune é de discriminar entre o próprio e o não-próprio e, a partir daí , eliminar o ultimo , seja ela um microorganismo , um enxerto transplantado ou até mesmo uma substância interna indiferenciada.
A resposta imune depende primordialmente de três tipos de células : as APCs , os linfócitos T CD4 e TCD8 , e os linfócitos B, que interagem entre si tanto diretamente , como por meio de citocinas.

02.Imunidade natural ( ou inata ) e adquirida ( ou adaptativa )

A. Imunidade natural ou inata = A imunidade natural , também conhecida como imunidade inata , está presente desde o nascimento e inclui vários elementos inespecíficos : pele e superfícies corpóreas , secreções e mucosas , sistema de complemento , APCs , interferons , células NK.

B. Imunidade adquirida ou adaptativa = Se as defesas oferecidas pelo sistema imune natural falham em evitar a entrada do Ag , entra em ação a resposta imune adquirida .Neste tipo de resposta imune , o Ag desencadeia uma série de eventos que leva á ativação de linfócitos e á produção de Ac que são altamente específicos para o Ag.


PROPRIEDADE IMUNIDADE NATURAL IMUNIDADE ADQUIRIDA
Barreiras fisicas Pele e mucosas nenhuma
Fatores químicos Enzimas , complemento , interferons Anticorpos e citocinas
Células envolvidas Macrófagos , leucócitos granulares e células NK Linfócitos TCD4 e TCD8
Discriminação entre próprio e não-próprio Sim Sim
Especificidade Não Sim
Memória Não Sim

03. Antígenos = O antígeno (Ag) pode ser melhor entendido como sendo uma substância que quando ultrapassa as barreiras da imunidade natural , desencadeia uma resposta adaptativa do organismo.
Neste ponto é interessante termos em mente que um antígeno pode ter muitos imunógenos . Um imunógeno é o que se chama de epítopo ou determinante antigênico ; é a parte química do antígeno que desencadeia a resposta imune.A maioria dos imunógenos é composta quase exclusivamente de proteínas (lipoproteínas , glicoproteínas e nucleoproteínas)

A.Processamento e apresentação do Ag = Para que o Ag seja apresentado ao corpo , é necessário inicialmente que ele seja processado pelas APCs. A razão para isso é que as células T (que são os principais reguladores e organizadores da resposta imune) só reconhecem os Ag quando estes estão ligados ás moléculas do complexo principal de histocompatibilidade (MHC) na superfície das APCs.
-Portanto , os primeiros passos na resposta imune que se seguem á entrada do Ag , envolvem a captura , o processamento e a apresentação do Ag pelas APCs no contexto de ligação com moléculas MHC classe I .É o linfócito TCD4 ( ou linfócito T auxiliar) quem primeiro reconhece o Ag ligado á MHC classe I .
-Todas as células nucleadas do corpo expressam em sua superfície moléculas MHC classe I . O MHC classe I liga apenas antígenos externos ; os linfócitos TCD8 reconhecem os antígenos internos ligados á MHC classe I .
-As APCs fagocitam o Ag , criando um vacúolo digestivo onde o Ag é proteolisado e digerido ; os fragmentos do Ag original associam-se de forma covalente com moléculas MHC classe II e o complexo é levado para a superfície celular .
-Os linfócitos B também podem apresentar Ag ás células T , mas não na forma de MHC classe II

04.Ativação dos linfócitos T CD4 = Os linfócitos TCD4 são os principais coordenadores da resposta imune , uma vez que são necessários para a ativação dos principais linfócitos produtores de Ac , os linfócitos B. A ativação das células TCD4 ocorre no início da resposta imune e requer pelo menos dois sinais : um sinal é fornecido pela ligação do receptor TCR da célula TCD4 com o Ag ligado no contexto das moléculas MHC classe II; o outro sinal vem da IL1 produzida pela APC.
-Juntos , os dois sinais induzem a produção de uma bateria de fatores de crescimento e diferenciação celular ( citocinas ) que são fundamentais para a ativação dos linfócitos B

05.Ativação dos linfócitos T CD8 = A célula TCD4 ativada é a chave para as etapas subseqüentes da resposta imune , principalmente a ativação das células TCD8 (cuja principal função é destruir células que expressam Ag estranhos ou não-próprios) e a ativação dos linfócitos B , que produzem Ac específicos.A ativação da célula TCD8 é quase idêntica á da célula TCD4 , exceto pelo fato de a célula TCD8 apenas reconhecer MHC classe I e o outro sinal vir da IL2 (ao invés da IL1) .As células TCD8 destroem diretamente a célula que apresentou o Ag .

06.Ativação das células B = As células B são as responsáveis pela produção de Ac específicos e pela memória imunlógica do indivíduo . Para que realizem suas funções , precisam ser ativadas . A ativação se faz pela célula TCD4 , que , quando reconhece o antígeno no contexto das moléculas MHC classe II , produz linfocinas. Estas linfocinas difundem-se e vão ativar as células B.
-Pelo menos duas linfocinas produzidas pelas células TCD4 são necessárias para o crescimento e diferenciação das células B. A primeira linfocina é chamada de fator de crescimento da célula B (BCGF), que , associada ao antígeno , estimula a proliferação da célula B .A segunda linfocina , denominada fator de diferenciação da célula B (BCDF) , induz a célula B a se diferenciar em plasmócito.
-Uma fração das células B ativadas prolifera mas não se diferencia em plasmócito , possivelmente porque recebeu BCDF insuficiente .Tais células B formam o compartimento das células de memória , que podem responder a encontros subseqüentes com o Ag que desencadeou sua formação .

07.Cinética da resposta imune = O primeiro encontro de um individuo com um Ag é chamado de evento primário e leva á uma resposta de Ac relativamente fraca, de curta duração , designada resposta imune primária .Esta resposta pode ser dividida em várias fases :

A.Fase latente ou fase lag = é o tempo entre o contato com o Ag e a detecção dos Acs na circulação , que em média é de cerca de uma semana em sares humanos.Durante esta período inicia-se a ativação dos linfócitos T e B.
B.Fase exponencial = ocorre um rápido aumento na quantidade de Acs na circulação ; estes Acs são produzidos por plasmócitos.
C.Fase estacionária
D.Fase de declínio

Encontros posteriores com o mesmo Ag levam á respostas similares á resposta primária , porém com diferenças quantitativas acentuadas : na resposta secundária ou anamnésica , o período lag é encurtado e os níveis de Acs aumentam rapidamente até um nível constante muito mais elevado permanecendo no soro por mais tempo.
As células B de memória (geradas durante a resposta primária) são responsáveis pela resposta cinética mais rápida e pelas maiores intensidades e duração da resposta secundária ; isto explica porque os reforços de vacinas são tão eficazes.

08.Mecanismos de eliminação do Ag = A função básica do sistema imune é encontrar e destruir substâncias estranhas no organismo , o que é feito de diferentes formas ;
A.Neutralização de toxinas = Acs específicos para toxinas bacterianas ou venenos de insetos e cobras se ligam á essas toxinas causando sua inativação e promovendo sua eliminação;

B.Neutralização de vírus

C.Opsonização de bactérias

D.Ativação do Sistema de Complemento = O complemento e um sistema de proteínas séricas que constitui o principal mediador das reações Ag-Ac. O sistema de complemento ativado , desempenha várias funções :
-lise bacteriana;
-opsonização;
-facilitação da fagocitose;
-atividade quimiotaxica;


08.Inflamação e Hipersensibilidade tardia = A hipersensibilidade do tipo tardio (DTH) é mediada por uma subpopulação das células TCD4; estas células , depois de ativadas pelas APCs liberam linfocinas que atraem a ativam macrófagos, produzindo uma reação inflamatória. A resposta é chamada tardia pq as respostas inflamatórias mediadas por Acs iniciam-se dentro de minutos ou horas enquanto a DTH leva 24 a 48 hs para aparecer.As duas também são distintas pela natureza do infiltrado celular : a inflamação mediada por Ac e complemento se caracteriza predominantemente por PMN , enquanto a DTH se caracteriza pela presença de células mononucleres.

Referências

ROITT , Ivan – Imunologia , 5ed , Ateneu , São Paulo , 1998.

STITES , Daniel ; TERR , Abba – Imunologia Básica , 1ed , Prentice/Hill , Rio de Janeiro , 1991.





Friday, February 07, 2003

IMUNOLOGIA

ORGANIZAÇÃO ANATÔMICA E FUNCIONAL
DO SISTEMA IMUNOLÓGICO


01. Introdução = As células que formam o sistema imune estão distribuídas pelo organismo , porém encontram-se predominantemente nos órgãos linforreticulares , tais como os linfonodos , baço , medula óssea , timo e os tecidos linfóides associados ás mucosas . Todas as células do sistema imune originam-se de uma célula primordial pluripotente , com renovação própria , encontrada na medula óssea.
Podemos dividir as células do sistema imune como se segue :

Células do sistema imune apresentadoras de Ag ( APCs ) :
*granulócitos : neutófilos , eosinófilos , basófilos , monócitos
*mastócitos;
*macrófagos;
*células dentríticas .

Células do sistema imune reconhecedoras de Ag :
*linfócitos B ( imunidade humoral e memória imunológica );
*linfócitos Th (CD4+) , linfócitos Tc (CD8+) (imunidade celular).
*linfócitos NK.

Para que a resposta imunológica seja eficaz quando da entrada de um Ag estranho no organismo do hospedeiro , é necessário que as APCs processem este Ag e o apresentem aos LT .Os LT responderão á presença desta Ag ativando os LB para que produzam Ac e proliferem formando um clone celular .

Podemos dividir os órgãos do sistema imune como se segue :

Órgãos linfóides primários :
*timo ;
*medula óssea ;

Órgãos linfóides secundários :
*linfonodos;
*baço ;
*placas de Peyer


02. Células Imunológicas = A medula óssea é a fonte das células precursoras que posteriormente originarão as células imunológicas .A produção das células imunes é um componente da hematopoiese , o processo pelo qual todas as células que circulam no sangue surgem e maturam. Um importante princípio da hematopoiese é que há uma única célula precursora capaz de originar todas as linhagens de células sanguíneas ; esta célula é conhecida como célula tronco hematopoética pluripotente .

A. Células apresentadoras de Ag (APCs) – apesar das diferenças, as APCs apresentam uma característica comum : todas possuem em sua superfície celular , moléculas MHC de classe I ( presente também em todas as outras células nucleadas do corpo ) e MHC classe II ( presente apenas nas APCs ) .Estas células processam os Ag e o apresentam ao LT ligados ás moléculas MHC.

*Granulócitos = Os granulócitos ( neutrófilos , eosinófilos , basófilos e monócitos ) constituem cerca de 65% das células brancas do sangue e seu nome decorre do grande número de grânulos encontrados em seu citoplasma .A aparência desses grânulos ao microscópio óptico após coloração , dá origem a uma posterior subdivisão : neutrófilos , com grânulos irregulares e núcleo polissegmentado ; eosinófilos , com grânulos corados em vermelho e núcleo bilobulado ;basófilos com grânulos de coloração azul e núcleo esférico recoberto pelos grânulos .

- Os grânulos dessas células contém enzimas proteolíticas e formam o fagossoma quando ocorre fagocitose de elementos estranhos como os antígenos .

*Monócitos e macrófagos = Os monócitos são células brancas que quando passam para os tecidos são chamados de macrófagos e estão aptos a realizar fagocitose.A morfologia dos monócitos e dos macrófagos é muito variada , contudo , em termos gerais , eles têm um único núcleo e abundantes grânulos citoplasmáticos. Existem várias formas especializadas de macrófagos , como os macrófagos alveolares , as células de Kupffer (macrófagos do fígado) , as células mesangliais (macrófagos dos rins) , células da micróglia (macrófagos do cérebro) e osteoclastos (macrófagos dos ossos).

*Células dentríticas = As células dentríticas existem em vários órgãos do organismo e são potentes deflagadoras de respostas imunológicas .

-Durante a infecção bacteriana , verifica-se um aumento do número dessas células na circulação.As principais funções dessas células consistem em : migração , quimiotaxia , ingestão e destruição bacteriana .

B. Células do sistema imune reconhecedoras de Ags – Para que uma resposta imune seja desencadeada , é necessário que os linfócitos reconheçam os Ag apresentados pelas APCs ligados á sua superfície com MHC classe II ou classe I .Os linfócitos são células sanguíneas grandes de núcleo denso e citoplasma rosado indistinguíveis através da microscopia optica comum ; sua distinção se faz por meio de marcadores protéicos em suas superfícies . 50 a 70% dos linfócitos totais são LT ; 10 a 20% são LB e o restante são linfócitos NK.

*linfócitos B = são os linfócitos responsáveis pela imunidade humoral (produção de Ac) e pela memória imunológica (resistencia do organismo quando de um novo encontro com o Ag) .Para produzirem Ac e proliferarem, os linfócitos B devem ser ativados pelos linfócitos T CD4+. Os linfócitos B podem migrar para os tecidos e evoluir para plasmócitos teciduais secretores de Ac. Principais marcadores protéicos de superfície : sIg , CD19 e CD20.

*linfócitos T = são os linfócitos responsáveis pela imunidade celular Dividem-se em três grandes grupos :
- LT CD8+ : são os linfócitos citotoxicos que atuam na vigilância imunológica ; constituem 30% dos linfócitos T e reconhecem Ags ligados á MHC de classe I . Principais marcadores protéicos de superfície : CD8 , CD3 e TCR . Este ultimo marcador é o receptor que reconhece o Ag ligado á MHC classe I .
- LT CD4+ : são os linfócitos auxiliares (helper) e são os primeiros linfócitos á entrarem em contato com os Ag externos ; reconhecem Ag ligados apenas á MHC de classe II . Prncipais marcadores protéicos de superfície : CD4+, CD3 e TCR .
- LNK : são os lifócitos “natural killer” . É um tipo de linfócito que serve como célula destruidora natural , não precisando reconhecer Ag ligados á moléculas MHC .Estão ligados á funções de vigilância á certos tumores e infecções virais.

- Os linfócitos LTCD4+, quando reconhecem Ags externos ligados á moléculas MHC classe II da superfícies das APCs , logo produzem linfocinas , como interleucinas e interferons, que estimulam os LB á proliferar e produzir Ac específicos contra o Ag que gerou a resposta.A proliferação origina um clone de LB capazes de produzir Ac contra o Ag específico e fica ativo por vários anos ( memória imunológica ).



03.Órgãos do sistema Imune = os órgãos são divididos de acordo com seu estágio evolutivo de produção dos elementos do sistema imune .

*Órgãos linfóides primários : medula óssea e timo
*Órgãos linfóides secundários : linfonodos , baço , tecido linfóide associado ás mucosas ( MALT, BALT e GALT ) , amigdalas.


Referências

PEAKMAN , Mark ; VERGANI , Diego – Imunologia Básica e Clínica , 1ed , Guanabara Koogan , Rio de Janeiro , 1999.

ROITT , Ivan – Imunologia , 5ed , Ateneu , São Paulo , 1998.

STITES , Daniel ; TERR , Abba – Imunologia Básica , 1ed , Prentice/Hall , Rio de Janeiro , 1992.


Wednesday, January 29, 2003

IMUNOLOGIA

INTRODUÇÃO À IMUNOLOGIA

01.Imunologia = A Imunologia é a ciência que trata dos aspectos da relação entre o organismo e sua resposta á agentes estranhos externos (bactérias) e internos (proteínas tumorais) , bem como da resposta do organismo à esses agentes .Nesta relação , a Imunologia trata de antígenos , anticorpos e das funções de defesa em particular quando estas estão ligadas á doenças , reações biológicas de hipersensibilidade , alergia e rejeição à tecidos estranhos.

02.Imunidade é o estado de resistência de um organismo em relação á um patógeno ou antígeno . Pode ser :

*Imunidade natural
*Imunidade adquirida
-Imunidade adquirida passiva : soroterapia
-Imunidade adquirida ativa
· artificial : vacinação
· natural : Imunidade celular e Imunidade humoral

03.Imunidade Natural = refere-se à resistência que não é adquirida através de contato com o antígeno ;

Antígeno (Ag) é uma substância capaz de induzir uma resposta imune quando introduzida em um animal .

A Imunidadade natural é inespecífica e inclui as barreiras naturais do corpo , como a pele , as mucosas , as células NK , as respostas inflamatórias , febre e fetores inespecíficos como o sistema de complemento e as citocinas .

04.Imunidade Adquirida = ocorre após exposição a determinado antígeno , como por exemplo , um agente infeccioso; é específica e mediada por anticorpos (imunidade humoral) e/ou células linfóides (imunidade celular).

Anticorpo (Ac) é uma proteína produzida em consequênciada introdução de um antígeno , que tem a capacidade de se combinar com o antígeno que estimulou sua produção .

A Imunidade adquirida pode ser passiva ou ativa

*Imunidade adquirida passiva = neste caso , o organismo recebe anticorpos ou células linfóides pré-formados em outro hospedeiro .Ex : soroterapia (difteria , tétano , botulismo) . A principal vantagem da imunização passiva com anticorpos pré-formados consiste na disponibilidade imediata de grandes quantidades de anticorpos , enquanto as desvantagens incluem o tempo curto de ação desses anticorpos e a possibilidade de ocorrência de reações de hipersensibilidade .

*Imunidade adquirida Ativa = neste caso , o próprio organismo produz ou anticorpos necessário á debelação de um agente antigênico quando entra em contato com ele . Este tipo de imunidade divide-se em dois grups :

ª Artificial = quando o corpo recebe formas atenuadas do antígeno , que não desencadeiam doença , mas gera imunidade . Ex : vacinação.

b. Natural = quando os mecanismos de defesa inespecíficos falham e o antígeno desencadeia doença. O organismo , então , lança mão da própria produção de anticorpos (imunidade humoral) e recruta células que possam destruir diretamente o antígeno (imunidade celular) .É importante lembrar que a resposta humoral e a resposta celular são intimamente dependentes e correlatas constituindo a resposta imune integrada que é o ponto principal de estudo da Imunologia.

As vantagens da Imunidade ativa incluem a resistência prolongada (baseada na memória do contato anterior com o antígeno e da capacidade de responder mais rapidamente e em maior grau ao contato subseqüente ao mesmo antígeno ) , enquanto as desvantagens consistem no aparecimento lento da resistência .


05.Resposta Imune Integrada = consideremos uma situação hipotética onde tenhamos um Ag representado por uma bactéria que tenta invadir um organismo e causar doença . Os eventos ilustrativos de como o sistema imune reage á este Ag podem ser esquematizados assim :

A . A bactéria (Ag) tenta entrar no organismo através dos orifícios comuns de entrada : boca , nariz , mucosas , pele injuriada .Neste momento entram em ação os mecanismos inespecíficos .No caso destes falharem e a bactéria conseguir adentrar ao organismo , entram em ação os mecanismos específicos.

B . Consideremos que o antígeno conseguiu vencer as defesas primárias e entrou no organismo . Uma vez na corrente sanguínea ou no tecido conjuntivo , o Ag consegue atrair macrófagos , linfócitos , células dentríticas por quimiotaxia .O fenômeno da quimiotaxia ocorre porque os Ag , em sendo substâncias estranhas ao organismo , conseguem atrair as células do corpo responsáveis pela fagocitose.

C. Os macrófagos , células dentríticas e outras células fagocíticas são coletivamente conhecidas por APCs ( células apresentadoras de Ag ); elas fagocitam o Ag e o apresentam em suas superfícies ligados á moléculas MHC de classe II (complexo principal de histocompatibilidade ) .Os antígenos ligados á essas moléculas MHC de classe II na superfícies das APCs podem ser apresentados aos linfócitos .

D . Existem dois tipos de linfócitos : os linfócitos T e os linfócitos B . Os primeiros se dividem em linfócitos T auxiliares (Thelper – LT CD4+) e linfócitos T citotóxicos (Tcitotox – LT CD8+) e são responsáveis pela imunidade celular .Os linfócitos B são responsáveis pela imunidade humoral ( produção de Ac ) e dependem dos LT CD4+ para serem ativados.

E . Os LT CD4+ possuem moléculas receptoras TCR que se ligam ao antígeno ligado á MHC classe II na superfícies das APCs. Isto se chama apresentação do antígeno .Uma vez apresentado , o Ag induz o linfócito LT CD4+ á produzir citocinas ( interleucinas ) que estimulam os linfócitos B . Os linfócitos B estimulados proliferam , formando um clone , e se diferenciam em plasmócitos liberando os anticorpos específicos para o Ag que desencadeou o processo .

F . O clone induzido fica ativo por muitos anos e reconhece o antígeno que desencadeou sua formação toda a vez que ele entrar em contato com o corpo novamente .Isto se chama memória imunológica .

G . Os Ac produzidos pelos plasmócitos se ligam ao Ag e o inativam por vários mecanismos : opsonização , ativação do complemento , neutralização química entre outros .

Não foi relatado nesse esquema a participação das MHC classe I nem das células LT CD8+ . As aulas seguintes mostrarão com maiores detalhes cada etapa esboçada acima . O aluno não deve se sentir desencorajado ; a Imunologia é apenas uma seqüência lógica de eventos relacionados ,que um pouco de leitura e atenção promovem um domínio claro do status deste saber .

06. Referências

BENJAMINI et alli – Imunologia , 4ed , Guanabara Koogan , Rio de Janeiro , 2002.

DAVIS , B.D – Imunologia , 1ed , Edart , São Paulo , 1999.

PEAKMAN , Mark ; VERGANI , Diego – Imunologia Básica e Clínica , 1ed , Guanabara Koogan , Rio de Janeiro , 1999.

ROITT , Ivan – Imunologia , 5ed , Ateneu , São Paulo , 1998.

Monday, January 27, 2003

CURSO : GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM
DISCIPLINA : IMUNOLOGIA
CARGA HORARIA : 45hs
TOTAL DE CRÉDITOS SEMANAIS : 03
PRÉ-REQUESITOS : MICROBIOLOGIA E CITOLOGIA
PERÍODO : 2003.1
REGIME : SEMESTRAL

O presente documento objetiva mostrar , de forma clara e concisa , as principais derivativas para a realização da atividade de docência da disciplina de Imunologia ao curso de graduação em Enfermagem . Os tópicos abordados estão de acordo com uma visão integrativa da disciplina no contexto da grade curricular do curso e permitem uma maior articulação do domínio do saber ao qual se presta com a realidade da prática de enfermagem no contexto clínico .

01.Ementa

Estudo do mecanismo de interação entre microorganismos e hospedeiros ; distinção entre resistência , imunidade ,hipersensibilidade , tolerância , imunossupressão , doenças auto-imunes , antígenos , anticorpos , vacinação e soroterapia.

02.Objetivos

Capacitar o aluno um conhecimento geral e integrativo da Imunologia no contexto de sua prática profissional e em saúde pública.

03.Metodologia de ensino


O conteúdo da disciplina será ministrado primordialmente na forma de aulas expositivas . Dependendo do andamento e da compreensão do assunto por parte dos alunos , poderão ser agendadas aulas extra ou de reforço .
Seminários e mesas redondas também se farão presentes quando indicado , ficando os alunos cientes dessa possibilidade logo no primeiro día de aula.
Estudos em grupo , estudos dirigidos e on line também serão usados .

04.Aulas práticas

Dependendo do tempo e interesse dos alunos , aulas práticas podem ser montadas e os assuntos estabelecidos em consonância com o conteúdo ministrado em sala.

05.Avaliação

A avaliação global da disciplina será relativa á média de três avaliações parciais : uma prova representativa escrita e de questões dissertativas , um seminário oral cujo assunto será combinado em sala , e uma terceira nota relativa á uma prova representativa escrita e de questões objetivas , modelo PROVÃO .Os alunos faltosos terão direito á reposição ; os que não conseguirem obter média 7,0 (sete) ao final da disciplina , se submeterão á exame final ; os que , por algum motivo , não concordarem com os resultados terão 48hs para realizarem um pedido formal de revisão de prova .

06.Recursos didáticos

As aulas expositivas serão realizadas com auxílio de :
*Pincel e quadro atômico ;
*Transparências e retro-projetores;

Qualquer outro material extra necessário será requesitado á coordenação em um prazo médio de 72hs.
Os recursos para as aulas práticas serão levantados previamente e a necessidade de qualquer material ou reagente será encaminhada a coordenação em tempo hábil para a aquisição dos mesmos.

07.Conteúdo Programático

1.Introdução à Imunologia
-visão geral do processo imunológico

2.Sistema Imunitário

3.Células da Resposta Imune

4.Antígenos
5.Anticorpos

6.Complexo principal de Histocompatibilidade

7.Sistema de complemento

8.Inflamação

9.Tópicos especiais em Imunologia


08.Referências

BENJAMINI et alli – Imunologia , 4ed , Guanabara Koogan , Rio de Janeiro , 2002.

DAVIS , B.D – Imunologia , 1ed , Edart , São Paulo , 1999.

PEAKMAN , Mark ; VERGANI , Diego – Imunologia Básica e Clínica , 1ed , Guanabara Koogan , Rio de Janeiro , 1999.

ROITT , Ivan – Imunologia , 5ed , Ateneu , São Paulo , 1998.

STITES , Daniel ; TERR , Abba – Imunologia Básica , 1ed , Prentice/Hill , Rio de Janeiro , 1991.